quinta-feira, 8 de abril de 2021

Dia Mundial da Saúde- 7 de abril de 2021

Ato do Fórum Alagoano em Defesa do SUS, realizado no bairro do Farol (passarela do CEPA) colocando faixas reivindicando e reafirmando a garantia da vacina para todos e pelo SUS, por auxilio emergencial de 600 reais e pela garantia de medidas restritivas para controle da pandemia.
A atividade faz parte do calendário de lutas em celebração ao Dia Mundial da Saúde da
Frente Nacional Contra a Privatização da Saúde
. Estiveram presentes no ato companheiros da
Resistência Popular Alagoas
, o CEBES/AL e o MTST/AL.



















Seguimos em defesa do SUS!
Nossa saúde não é mercadoria!

segunda-feira, 5 de abril de 2021

MANIFESTO DA FRENTE NACIONAL CONTRA A PRIVATIZAÇÃO DA SAÚDE DIA DE LUTA EM DEFESA DA VIDA E DO SUS! DIA DE LUTO PELAS VIDAS PERDIDAS! 7 DE ABRIL! DIA MUNDIAL DA SAÚDE.

Infelizmente, é preciso reconhecer que o Brasil, país que tem o Sistema Único de Saúde como referência para o mundo, hoje é o epicentro mundial da pandemia de Covid-19! 

A pandemia está sem controle, o sistema de saúde em colapso, a vacinação segue lentamente e caminha-se para um colapso funerário de dimensões catastróficas. A crise sanitária é também humanitária, com altas taxas de transmissibilidade, de contaminação e de mortes pela Covid-19.

 Os dados demonstram isso!

 Nosso país tem 2,7% da população mundial. Entre os dias 27/03 e 02/04/2021, o Brasil acumulou mais de 3 mil óbitos por dia - 30% das mortes diárias por Covid-19 no mundo. Com mais de 329 mil óbitos no total, tem quase 12% das mortes por Covid-19 no planeta. Em breve comparação, a Índia, país com 17,6% da população mundial, apresentou neste mesmo período uma média de 370 óbitos por dia, ou seja, 3,7% das mortes diárias. 

Mas... Qual seria a causa desse descontrole? 

Acerta quem pensa que não é apenas resultado da ação do próprio vírus e suas variantes, mas sim resultado das escolhas do Governo Federal, sob o comando do Presidente da República: promovem-se aglomerações; minimizam a pandemia; negam a ciência e as orientações da Organização Mundial da Saúde - OMS; recomendam tratamento precoce inexistente; desdenham da vacina e do uso de máscaras; desinformam a população; não dialogam com a ciência, com os movimentos sociais e sindicais e, por fim, não exercem seu papel de gestão, abrindo mão de tomar providências concretas para o enfrentamento da pandemia. 

Por isso, considera-se que o Governo Federal e o Presidente da República são responsáveis pela situação de descontrole da pandemia e pelas mortes evitáveis.

 É o que aponta o resultado da pesquisa sobre as normas federais e estaduais relativas ao novo coronavírus do Centro de Pesquisas e Estudos de Direito Sanitário (CEPEDISA) da Faculdade de Saúde Pública (FSP) da Universidade de São Paulo (USP,) junto com a Conectas Direitos Humanos. Também é a constatação de Pedro Hallal, epidemiologista e coordenador da pesquisa nacional Epicovid, quando afirma que 75% ou três em cada quatro mortes por Covid-19 no Brasil poderiam ter sido evitadas caso o país tivesse uma boa gestão da pandemia. 

Os passos do Governo Federal para o enfrentamento da Covid-19 são insuficientes e foram adotados apenas em resposta às iniciativas do Congresso Nacional, às ações judiciais movidas pelos partidos de oposição e à pressão popular. O Governo Federal não tem um plano nacional de enfrentamento da pandemia até a presente data, e o “Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19” apresentado pelo Ministério da Saúde, em 12/12/2020, foi uma exigência do Supremo Tribunal Federal - STF. 

E por falar em vacinação, qual seria a causa de estarmos indo tão devagar? 

A atual lentidão na vacinação está relacionada ao atraso intencional na compra do imunizante por parte do governo brasileiro. Até hoje apenas 3,29% da população brasileira, ou 5.266.136 pessoas, receberam a segunda dose da vacina.

 Em maio de 2020, o Presidente da República se recusou a integrar o consórcio CovaxFacility da OMS, cujo objetivo é a aquisição de vacina para garantir a distribuição equitativa em todo o mundo. O Brasil ingressou no consórcio somente em outubro. Com esse atraso, perdeu a prioridade e, das 211 milhões de doses a que teria direito, solicitou apenas 42,5 milhões de doses. 

Em agosto de 2020 o ex-Ministro da Saúde se negou a fechar o acordo de compra de 70 milhões de doses de vacina oferecido pelo laboratório Pfizer, que poderiam ser entregues desde dezembro de 2020. Em 20 de outubro de 2020 o Presidente da República suspendeu a compra de 46 milhões de doses da vacina CoronaVac, 24 horas depois do então Ministro da Saúde ter anunciado a compra. 

De acordo com MonitoraCovid-19/Fiocruz, se for mantida essa velocidade, o país levará cerca de quatro anos e meio, ou 1.731 dias, até que toda a população receba as duas doses das vacinas em uso.

 Mas... não há lentidão e inércia quando se trata de favorecer o setor privado! 

Assistimos às tentativas de aquisição das vacinas contra a Covid-19 pelo setor privado, prontamente aceitas pelo Presidente da República e com projetos de lei apresentados no legislativo. Foram também defendidas em recente entrevista coletiva pelos Presidentes da Câmara de Deputados, do Senado e pelo atual Ministro da Saúde. É nítida a inclinação deste governo em ceder e se somar à pressão a fim de ter vacinas disponíveis para quem puder pagar, transformando em fonte de lucro e mercadoria o que é um direito e um bem coletivo. É importante lembrar: qualquer quantidade que vá para o setor privado, será vacina a menos para o setor público, a quem constitucionalmente cabe a obrigação de atender a todas as pessoas, independentemente de sua capacidade de pagamento. Lucros não podem estar acima da vida!

 É preciso combater a pandemia, de fato! O caminho é fora Bolsonaro-Mourão e seus aliados! 

Diante dos fatos expostos, não nos surpreende que dos 56 pedidos de impeachment ativos na Câmara dos Deputados contra o Presidente, 21 deles tratam dos erros do governo na condução da pandemia. Porque não andam? 

Os cientistas são unânimes em recomendar a adoção coordenada e imediata de medidas restritivas rígidas da circulação de pessoas. E justamente o governo federal e seus aliados, em todos os poderes constituídos, são quem tem impedido ativamente que isso seja realizado, inclusive com ameaças de medidas de retaliação a quem se contrapõe. 

O dilema de preservar a economia capitalista ou preservar a vida é falso, colocado apenas para questionar indevidamente a adoção das medidas necessárias ao controle da pandemia. Dentre as medidas mais perversamente atacadas pelo governo federal estão a efetivação do auxílio emergencial de no mínimo 600 reais para a população impedida de trabalhar e as ações voltadas às cooperativas, pequenos e médios empresários com vistas à manutenção de empregos e salários, a fim de que todas as pessoas tenham condições reais para se manter em casa, respeitando o isolamento social. 

Nesse cenário, o SUS tem demonstrado sua importância decisiva para atender à população. Em meio a um processo histórico de desmonte, privatização e desfinanciamento, intensificado principalmente nos últimos 5 anos, é o SUS que resiste e atende a toda a população. Por isso, permanecem necessárias medidas como a revogação da Emenda Constitucional 95/2016, um maior aporte de recursos para o SUS, a taxação de grandes fortunas e a auditoria da dívida pública para o uso social dos recursos e um financiamentoefetivo do sistema de proteção social brasileiro. 

Para mudar esse quadro imediatamente, defendemos: 

1) Acelerar a vacinação, pelo SUS e para todas as pessoas!Vacina adquirida e ministrada exclusivamente pelo SUS. 

2) Controle da pandemia, com lockdown em todo país e auxílio emergencial efetivo! Adoção imediata de um lockdown nacional por 21 a 30 dias, por meio de uma ação coordenada com participação de entidades científicas, e o auxílio financeiro emergencial de, no mínimo, R $ 600,00 até o final da pandemia. 

3) Mais financiamento do Sistema Único de Saúde (SUS), fortalecimento do SUS público e 100% estatal, valorização de seus trabalhadores/as e não à privatização! 

4) Que a Câmara dos Deputados dê andamento aos pedidos de impeachment contra o Presidente da República: é necessário parar suas ações e apurar, com rapidez, seus crimes contra a população brasileira. 

Encerrar, imediatamente, a política que gera morte, coordenada pelo Governo Federal e seus apoiadores, antes que mais vidas sejam perdidas desnecessariamente! 

BASTA BOLSONARO-MOURÃO! FORA GENOCIDAS! 

FRENTE NACIONAL CONTRA A PRIVATIZAÇÃO DA SAÚDE - FNCPS

 07 de Abril de 2021

domingo, 13 de dezembro de 2020

Negacionismo genocida de Bolsonaro

Valéria Correia 

Profa. Dra. da FSSO/UFAL, integrante do FórumSUS e da FNCPS


Bolsonaro afirmou esta semana (10/12) que o Brasil está vivendo o "finalzinho de pandemia", no dia em que 22 unidades da federação estavam com tendência de alta nas mortes por Covid-19. O negacionismo genocida de Bolsonaro continua estarrecedor. 

A segunda onda do novo coronavírus se aproxima, já são mais de 180 mil vidas ceifadas e o general interventor do Ministério da Saúde continua sem um plano nacional de enfrentamento da Covid-19 para o país. 

A política genocida que minimiza a pandemia nega a sua cura. Bolsonaro tem dificultado a aquisição da vacina contra a Covid-19. Em maio vetou dispositivo que obrigava a Anvisa a certificar vacinas em até 72 horas. Veto que foi derrubado pelo Congresso Nacional, em agosto. Em novembro desautorizou o Ministério da Saúde a comprar a vacina chinesa desenvolvida pelo Instituto Butantan em parceria com a Sinovac. Em seguida, afirmou que não iria tomar a vacina. O que provocou uma dúvida sobre o uso da vacina em parte da população que o segue cegamente. Os mesmos que dispensam o uso de máscaras e não obedecem aos protocolos de distanciamento social, provocando a propagação do vírus e o aumento de mortes.

Apesar de ser o Brasil o país que registra o segundo maior número de casos de Covid-19 no mundo, nos últimos dias, não existe pressa na aquisição da vacina por parte do Governo Federal, muito pelo contrário, a todo momento o governo cria dificuldade. Não definiu uma política de aquisição de insumos para vacinação em massa e, sequer, havia elaborado um plano nacional de vacinação, até ser provocado pelo STF.

Os poucos passos do Governo Federal para o enfrentamento da Covid-19 são resultados de iniciativas do Congresso ou de ações judiciais. Apenas no dia 12/12/2020 um “plano nacional de operacionalização da vacinação contra a covid-19” foi entregue pelo Governo Federal ao STF, sendo anexado às ações que tramitam no STF sobre o tema. Esse plano foi entregue dias depois do Ministro relator, Ricardo Lewandovsk, ter votado para que o governo apresentasse um plano com estratégias e ações sobre a vacinação em 30 dias. Ressalta-se que as referidas ações foram apresentadas pelos partidos de oposição ao Governo Bolsonaro. Uma foi apresentada pelo partido Rede, e a outra pelos partidos PCdoB, PSOL, PT, PSB e Cidadania.

O negacionismo genocida de Bolsonaro precisa ser apurado como crime de responsabilidade! São 180.552 mil óbitos por Covid-19 (em 12/12), e se somar aos 68.923 óbitos registrados como Síndrome Respiratória Aguda Grave não especificada chega-se em 249. 475 óbitos no Brasil. Quantos mais precisam perder a vida? A exigência de todas as medidas necessárias para a vacinação com acesso universal de imediato deve estar na ordem do dia, já que o SUS, por meio do Programa Nacional de Imunizações (PNI), tem capacidade, organização, estrutura e experiência bem sucedida em vacinações.

sábado, 28 de novembro de 2020

Campanha #EmDefesaDaARCA

O Fórum Alagoano em Defesa do SUS e o MOPS/Alagoas em solidariedade às famílias do acampamento A ARCA, que perderam suas moradias em um incêndio ocorrido em 25/11/2020, lança a Campanha Solidária #EmDefesaDaARCA para mobilizar a arrecadação de insumos necessários ao atendimento das necessidades básicas imediatas e à reconstrução de suas moradias. 


Temos três pontos de apoio para arrecadação: 
RIO LARGO – Loteamento Bosque das Palmeiras nº45, Tabuleiro do Pinto (Clara- 82 9 8840-3885); 
MACEIÓ – Rua Ângelo Martins nº234, Pajuçara (Edna- 82 9 9991-5345); 
MACEIÓ - Rua Murilo Cardoso Santana, 54. Clima Bom (Inês- 82 9 8874-3433) 





sexta-feira, 30 de outubro de 2020

Reunião FórumSUS-Convite





O FórumSUS convida a todos/as para reunião online dia 04/11/2020 às 18h pelo Skype!

O link da reunião poderá ser solicitado pelo bate papo ou por e-mail, na lista. Caso queira ter acesso, falem conosco nas redes sociais.

Venham e #DefendamOSUS conosco!

Compartilhem!

AbraSUS



quinta-feira, 29 de outubro de 2020

terça-feira, 6 de outubro de 2020

Ciclo de Debates "Pandemia e direitos sociais: As vozes que precisam ser ouvidas ".

 Na próxima sexta-feira, 09/10, às 15:00h o MP Comunitário (@MpComal) promoverá mais uma LIVE do Ciclo de Debates "Pandemia e direitos sociais: As vozes que precisam ser ouvidas ".

O objetivo do ciclo é promover reflexões sobre o atual contexto social e a garantia de direitos junto aos profissionais da rede, usuári@s e movimentos sociais. Desta vez, contaremos com a presença do médico da Família e Comunidade Bruno de Lima Fontan - membro do Fórum em Defesa do SUS ; e com Maria Nazaré Bonifácio de Almeida - Bacharela em direito, trabalhadora da Unidade Básica de Saúde Dr. Roland Simon, membra do Conselho Gestor da UBS Roland Simon.

Vamos participar desse importante debate!




segunda-feira, 27 de julho de 2020

segunda-feira, 20 de julho de 2020

Campanha #EmDefesadaVida

No dia 18 de julho, Alagoas alcançou o total de 49.583 casos confirmados e 1.381 óbitos. Os números de contágio são crescentes e alarmantes, mas o Governo do Estado de Alagoas está seguindo com sua política de flexibilização adotando o "plano de distanciamento controlado" portanto colocando os interesses do mercado acima do lucro, e se desresponsabilizando da implementação de ações que possam garantir o distanciamento social.

Diante de todo esse descaso, seguimos com nossa campanha #EmDefesadaVida #NãoFlexibilizaGovernador e exigimos que a vida do povo alagoano seja prioridade nas ações de enfraquecimento da COVID-19 em Alagoas.

Para aderir a campanha, é necessário publicar uma foto sua com a #EmDefesadaVida #NãoFlexibilizaGovernador e compartilhar no seu perfil, marcando @forumsus_alagoas. Estaremos recebendo as fotos até amanhã 21/07/2020 às 15h.


Vamos juntos!!

Nossas vidas valem mais que o lucro!!

#ForumSUSAlagoas #SUS #EmDefesadoSUS #EmDefesadaVida #NãoFlexibilizaGovernador #JuntosSomosMaisFortes #FicaEmCasa