segunda-feira, 29 de junho de 2020

Campanha do FórumSUS Alagoas #EmDefesadaVida #NãoFlexibilizaGovernador






No Brasil, os óbitos causados pela COVID-19, ultrapassam 55 mil mortes. Em Alagoas, são mais de 975 mortes.  Com enfoque no Estado de Alagoas, tem-se mais de 32 mil casos confirmados e, mesmo diante de todos esses dados alarmantes, o Governo do Estado pretende realizar a abertura gradual do comércio. 

As medidas de flexibilização já estavam presentes, desde o decreto 69.935 de 31 de maio de 2020, demonstrando a tendência do governo de Alagoas em priorizar os interesses do mercado, enquanto cresce o número de casos, que coloca em risco a vida da população alagoana. 

Dessa forma, ficam os seguintes questionamentos: Quantas vidas serão perdidas para que medidas sejam tomadas? O que é considerado essencial nesse momento, a diminuição dos casos diários e a valorização da vida ou priorizar a abertura do comércio? Qual a certeza que estamos seguros para voltar a circulação/grandes aglomerações?

Reafirmamos que a vida deve estar acima do lucro. Portanto, nos colocamos contra a política de morte do Governo Federal,  implementada pelo Governo do Estado de Alagoas, ao permitir a reabertura do comércio e não garantir as condições para que as pessoas fiquem em casa. Acreditamos que neste momento a flexibilização trará prejuízos irreparáveis, sendo assim,estamos lançando a campanha virtual #EmDefesadaVida #NãoFlexibilizaGovernador. Com ela, estaremos mais uma vez ampliando nossas vozes.

Para aderir a campanha, é necessário publicar uma foto sua com a #EmDefesadaVida #NãoFlexibilizaGovernador e compartilhar no seu perfil, marcando @forumsus_alagoas  ou então nos enviando por alguma rede social. Estamos no Facebook e também por E-mail!!

Vamos juntos!!
Nossas vidas valem mais que o lucro!!



quarta-feira, 3 de junho de 2020

Campanha em Defesa da Vida e Contra a Política de morte do Governo Federal


 


Ultrapassando 1.000 mortes por dia e com o crescimento exponencial do índice de contaminação, o Brasil caminha para se tornar o epicentro mundial da pandemia causada pelo novo Coronavírus. O Governo Federal tem empreendido uma política de morte, negando a ciência, minimizando a Pandemia, militarizando o Ministério da Saúde, e não seguindo as recomendações da OMS. Banaliza a morte e estimula a reabertura do comércio e o uso indiscriminado da Cloroquina. Diante desse cenário genocida, o Fórum Alagoano em Defesa do SUS e Contra a Privatização da Saúde, soma-se à campanha Em defesa da vida e contra a política de morte do Governo Federal. 

A vida está acima do lucro!

Para participar tire uma foto usando as hashtags: 

 #EmDefesaDaVida #ContraPolíticadeMortedoGovernoFederal #ForaBolsonaroMourão 

Publique em suas redes sociais marcando nosso perfil ou envie para nossos contatos!



quinta-feira, 28 de maio de 2020

DOE PARA A COZINHA COLETIVA DO MTST/ALAGOAS!!!




A pandemia trazida pelo Covid-19 escancarou ainda mais as desigualdades sociais do nosso país, apontando o caráter desumano do projeto neoliberal, visto que as medidas tomadas até então mostram total descaso em relação a vida e o bem estar das/dos trabalhadores.

Diante disso para que se possa atravessar esse período da melhor forma, a solidariedade de classe se faz fundamental. Devemos nos unir pelo exercício dessa solidariedade, para que ela se torne cotidiana, fazendo com que a rede de ajuda entre os trabalhadores e movimentos sociais se fortaleça cada vez mais.

Nesse sentido, o FórumSUS convida a todos a colaborar com a Campanha do Mtst-Alagoas pela construção da Cozinha Coletiva para o Território Paulo Bandeira! 


Todas as informações sobre como contribuir estão na imagem e além das contribuições aceitas, a divulgação é uma forma importantíssima de ajudar na campanha!

.
.
.
.
#ALutaContinua #EmDefesaDoSUS #ContraPrivatização #SUS #PovoSemMedo #MTSTAlagoas 

#ForumSUSAlagoas

segunda-feira, 18 de maio de 2020

Manifesto contra a privatização da saúde em defesa da vida, contra a política de morte e por medidas urgentes de enfrentamento do CoronaVirus para reverter o colapso do SUS no Brasil


Confira o Manifesto da Frente Nacional Contra a Privatização da Saúde com o tema: Em defesa da vida, contra a política de morte e por medidas urgentes de enfrentamento do Coronavírus para reverter o colapso do SUS no Brasil.







Campanha virtual do 18 de Maio- Dia Nacional da Luta Antimanicomial






No dia 18 de Maio celebramos o dia da Luta Antimanicomial em todo o Brasil. Este dia é muito importante pois demarca a necessidade de retornar as memorias/ histórias da luta antimanicomial no BR, que começa com o movimento da reforma psiquiátrica nos anos 70,  que tem como principal bandeira de luta uma sociedade sem manicômios/ hospitais psiquiátricos, assim trazendo para o centro da questão o sujeito e suas expressões/ singularidades, de acordo com as suas necessidades e  possibilidades, sem que para isso seja necessário seu distanciamento/ exclusão social. 

Neste dia, geralmente, o forumSUS Alagoas está nas ruas juntamente com coletivos/ usuários/ movimentos sociais, conversando com a população, defendendo uma sociedade sem manicômios e a necessidade de políticas públicas, gratuitas e de qualidade que ampliem a rede no campo da saúde mental.

Dessa forma, no dia de hoje, estamos lançando a campanha #manicomionuncamais !!
Para participar tire uma foto usando uma placa com a hashtag #manicomionuncamais e publique em suas redes sociais marcando nosso perfil! 
É muito importante se somar nessa luta! 
.
.
.
.
.
.
#ALutaContinua #EmDefesaDoSUS #ContraPrivatização #SUS #ForumSUSAlagoas #ManicomioNuncaMais #FicaEmCasa

segunda-feira, 11 de maio de 2020

Em defesa dos/ as trabalhadores/as





Diante da atual pandemia e da necessidade de medidas de isolamento social, como método eficaz na diminuição da propagação da COVID-19, enfatizamos a importância do estabelecimento de medidas para evitar demissões ou redução de salários das/os trabalhadoras/es públicos e privados, garantindo a estabilidade do emprego frente as medidas de isolamento social, no estado de Alagoas.

Essas ações darão aos trabalhadores as condições necessárias para se permanecer em isolamento, mantendo o atendimento de suas necessidades sociais.
.
.
.
.
.
.

#AlutaContinua #EmDefesaDoSUS #ContraPrivatização #SUS #Publico #Estatal #DeQualidade #FórumSUSAlagoas #Alagoas  #SaúdeNãoÉmercadoria  #FicaEmCasa

sábado, 2 de maio de 2020

Ampliação imediata do número de leitos clínicos e de UTI para COVID-19 no estado de Alagoas.






É preocupante a insuficiência de leitos clínicos e de UTI para atender aos doentes da Covid-19 nos próximos meses. De acordo com o Mapa de Leitos da Secretaria de Estado da Saúde de Alagoas, de 17/04/2020, existem 31 leitos intermediários, 177 leitos clínicos e 94 leitos de UTI (83 adultos e 11 pediátricos) disponibilizados exclusivamente para o tratamento da Covid-19 em Alagoas. As estimativas de leitos necessários para atender as pessoas com a Covid-19, nas próximas semanas, no estado de Alagoas, é bem superior ao disponibilizado atualmente.
Portanto, algumas ações são necessárias:
✓ Ampliação imediata do número de leitos clínicos e de UTI, e que esses sejam distribuídos de forma equitativa nas regiões de saúde do estado de Alagoas, para que mortes sejam evitadas em todo estado.
✓ Controle e coordenação da utilização de todos os leitos públicos e privados pelo SUS, mediante a instauração de um sistema de regulação unificado de leitos gerenciados pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesau/AL). O acesso deve ter por base critérios clínicos e epidemiológicos, sem discriminação pela capacidade de pagamento individual.
Segundo informações da SESAU, publicada no dia 27 de abril de 2020 pelo site Agência Alagoas, em uma semana (de 20 a 27 de abril) a taxa de ocupação de leitos aumentou de 17% para 35%.
Além disso, a Sociedade Alagoana de Infectologia (SAI) tem demonstrado preocupação com a velocidade de evolução da doença para casos críticos, o qual tem esgotado as redes de saúde, gerando seu colapso. A estimativa apresentada pela SAI, em seu relatório, é de que chegue a mais de 4 mil internações em um mesmo dia. Segue abaixo a carta aberta disponibilizada pelo órgão.
Portanto, reforçamos a necessidade de medidas que garantam o isolamento social horizontal e a ampliação imediata da capacidade de leitos a toda população.
.
.



Referencias:

quarta-feira, 29 de abril de 2020

Equipamentos de proteção individual (EPIs) para todos/as os/as trabalhadores/ras que estiverem nos serviços essenciais do Estado de Alagoas e das Prefeituras Municipais




A pandemia evidencia a importância do fortalecimento do SUS com uma rede de atenção primária, ambulatorial e de média e alta complexidade estruturada. Também evidencia a necessidade de uma política de valorização dos profissionais da saúde, com vínculos estáveis, salários e jornadas de trabalho justas.

Para a proteção das trabalhadoras e dos trabalhadores da saúde e de suas famílias, exigimos providências imediatas para que não faltem todos os Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) necessários, sob pena de colocar em risco suas vidas.

Destacamos que esses equipamentos são necessários em todos os serviços de saúde, do posto de saúde (ESF, NASF), Rede de Atenção Psicossocial (Raps), rede ambulatorial, aos hospitais de média e alta complexidade e devem ser distribuídos de acordo com as exigências dispostas nas normas técnicas.

Além disso, defende-se a garantia de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) para todas trabalhadoras e trabalhadores que estiverem nos serviços essenciais do estado e das Prefeituras Municipais, como policiais civis e militares, garis, equipes dos Centros de Referência Social (Creas) e dos Centros de Referência de Assistência Social (Cras), inclusive os terceirizados, entre outros.
.
.
.
.
#AlutaContinua #EmDefesaDoSUS #ContraPrivatização #SUS #Publico #Estatal #DeQualidade

segunda-feira, 27 de abril de 2020

Implantação de barreiras sanitárias e de medidas de proteção social para as comunidades indígenas, quilombolas, ribeirinhas, e para os acampamentos pela reforma agrária.


✓ Implantação de barreiras sanitárias e de medidas de proteção social – alimentação, higienização e demais condições para suprir as necessidades básicas – para as comunidades indígenas, quilombolas, ribeirinhas, e para os acampamentos pela reforma agrária.

Considerando que a saúde é direito de todos e dever do Estado, assim como dispõe no art. 196 da CF de 1988. Em nosso manifesto, fortalecemos a necessidade permanente de garantir a proteção das populações dos campos, das águas e das florestas. Segundo relatório elaborado pela Fundação Osvaldo Cruz (Fiocruz, 2020) e da Fundação Getúlio Vargas (FGV,2020), a pandemia do Covid-19 pode ter um grande impacto na manutenção da vida dessa população. No site de Articulação de Povos Indígenas do Brasil (APIB), no dia 3 de Abril, foi enviado uma carta a todos os representantes Governamentais e do Distrito Federal solicitando a  adoção de medidas especiais de proteção aos povos originários, diante da Covid-19. 

Trazendo também dados da realidade, a Comissão Pastoral da Terra (CPT) lançou seu relatório anual de “Conflitos no Campo Brasil 2019” trazendo informações importantes que envolvem os conflitos no campo “contra o que se convencionou nomear como trabalhadores e trabalhadoras da terra, termo que engloba diversas categorias de camponeses, indígenas, assalariados rurais, comunidades tradicionais e pescadores artesanais que vivem em seus espaços e têm, no uso da terra e da água, seu sistema de sobrevivência e dignidade humana". (CPT, 2020, p.10). 

Em Alagoas, oficialmente, existem 68 comunidades quilombolas, 12 etnias indígenas e subgrupos. Como estão sendo manejadas as ações de proteção social/ barreiras sanitárias dessas populações, considerando todas as especificidades que envolvem suas necessidades básicas, hábitos/ costumes de vida? 

É necessário garantir o direito à saúde de qualidade em todos os aspectos que englobam a vida e reprodução dessas populações de maneira urgente, principalmente diante da pandemia do Covid-19, e para isso é preciso respostas rápidas do Estado  para prover o atendimento das necessidades da população cumprindo as medidas de isolamento social recomendadas pela OMS.

.
.
.
.
Acesse nossas redes sociais!!
Compartilhem nosso Manifesto!!!


Referências: 











http://www.iteral.al.gov.br/dtpaf/comunidades-quilombolas-de-alagoas/comunidades-quilombolas-de-alagoas



sábado, 25 de abril de 2020

Contra a flexibilização do isolamento social a partir do decreto estadual n° 69.700 de 20 de abril de 2020







Estudos indicam que devido à subnotificação, o Brasil pode ter até 15 vezes mais casos da Covid-19 do que os divulgados pelo Ministério da Saúde. Em Alagoas, essa realidade não é diferente, a subnotificação pela insuficiência de testes e o consequente não rastreamento dos infectados assintomáticos agrava a situação. O número de mortes pelo vírus também deve ser superior ao divulgado, visto que muitos resultados de testes têm saído após o óbito.

O colapso do sistema público de Alagoas poderá acontecer rapidamente, como já se observa no Rio de Janeiro, Amazonas, Ceará e em outros estados, caso as medidas de isolamento social, com as devidas condições oferecidas pelo Estado, não forem colocadas em prática. 

Consideramos que o isolamento social e as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) devem continuar a ser observadas com o objetivo de retardar a intensificação das curvas de contágios e óbitos no estado. Recomendamos que as iniciativas de fiscalização devem ser mais sistemáticas e rígidas nos estabelecimentos comerciais não essenciais para que permaneçam fechados ao público; nos essenciais para que sigam regras de distanciamento social, de higienização e de uso de EPI; e nos pontos onde vêm sendo identificadas aglomerações.

É responsabilidade do Estado enfrentar a pandemia do Coronavírus e realizar todas as ações para prover o atendimento das necessidades da população para que cumpra as medidas de isolamento social recomendadas pela OMS. Por isto, consideramos importante que o Governo do Estado, a Prefeitura de Maceió e as demais Prefeituras ampliem as ações que proporcionam as condições para que a população de baixa renda possa permanecer em isolamento social.
.
.
.

#AlutaContinua #EmDefesaDoSUS #ContraPrivatização #SUS #Público #Estatal #DeQualidade #SaúdePública #FórumSUSAlagoas #Alagoas #Maceió #SaúdeNãoÉmercadoria #VidaAcimaDoLucro #VivaOsTrabalhaDoresdoSUS #DefesaDoSUSPublicoEstatal #RevogaEC95